Viu-a caminhando entre tantas outras pessoas naquela tarde quente do verão de 1990 e teve certeza. Era ela. Beleza em forma feminina, feito Eva brotada da costela do primeiro homem. Até mesmo Vênus sentiria um pouquinho de ciúmes. Com os pensamentos imersos em lúcidos sonhos diurnos, seguiu-a pelas ruas da cidade. Ao todo, foram três longos e abençoados quarteirões. Viu-a de perto, de longe, de perfil, de frente, de trás. Apreciou o desfile sensual e longilíneo, os cabelos ruivos e curtos, os olhos verdes, a pele dourada pelo sol, as costas bem desenhadas e salpicadas de pequenas sardas harmoniosamente dispostas. Musa reencarnada. Quem é você? Mas daí a pouco caiu em si, na loucura que estava fazendo e resolveu parar com aquilo tudo. Ainda teve tempo de admirá-la uma vez mais, antes de dobrar a esquina da Osvaldo Aranha com a José Bonifácio. Não podia, não era certo, ou seria?! Ficou sem saber a resposta. Achou melhor cessar, voltar para casa. Voltar à segurança ilusória e monótona do marido e para o casal de filhos pequenos que amava tanto. Ao fundo, em segundo plano, pessoas, em um ponto de ônibus, esperavam pelo transporte que ainda não havia chegado.
Texto por Luciano Pfeifer. Trilha sonora by The Church. Imagens por conta do leitor.

16 comentários:

Luciano disse...

Maravilhoso feriado de páscoa com a família no interior de SP. A postagem semanal demorou, mas não tardou.
Abração a todos os amigos do Gergelim.

Renatinha disse...

Esquina da Osvaldo Aranha com a José Bonifácio??? Assim eu morro de nostalgia... ah Porto Alegre querida. Saudades tchê.

Sentimentos controversos... atração louca e fatal por uma gaúcha perfeita (como quase todas somos, éh éh) X segurança e amor familiar...

O tempero final foi o lance do gênero... nota 10.

Renatinha disse...

Aliás, o que fazia nossa amiga por lá? Caminhava desavisadamente pelo Parque Farroupilha? Eh tempo bom.

Tahis disse...

Não podia, não era certo, ou seria?!
Voltar à segurança ilusória e monótona ...
Atração,loucura,sentimentos fortes.
Muito bom meu amigo,o Gergelim cada vez melhor,parabéns.
Abraço

Luciano disse...

Rê, que boas lembranças do Parque Farroupilha heim? Acho que todos aqueles que amam estar em Porto Alegre, que amam aquela cidade, as têm. Bons tempos de Poa, muitos correrios...
Que bom que tu gostou do conto. Bj.

Tahis, obrigado pela visita. Fazia tempo que eu não curtia a leitura de um dos teus comentários. Seja sempre muito bem vinda. Abração.

Sentimental ♥ disse...

é, algumas coisas na vida devem ficar só no 'achismo' mesmo, assim ficam perfeitas e intocadas...
beijos

Beth disse...

Eu sou suspeita pra falar alguma coisa sobre seu texto...simplesmente AMEIIIIIIIII...

Beijo Luciano

Marcia Barbieri disse...

Maravilhoso, li até o final tendo certeza que se tratava de um homem. adoro a quebra de expectativa em um texto.

beijos ternos

maria disse...

Na minha série dos curtas metragens tem um que tem um desfecho assim, revelador no final. Se estiver curioso, acho que é o III ou o IV. Eles tem categoria própria. Bj

Rose disse...

Adorei, Luciano!
Muito boa a sequência do texto até o desfecho que surpreende o leitor. A dita segurança e a mononotia se debatendo contra o desejo,a loucura e o sonho.

A vida como ela é, com certeza!

Beijão, Rose

Adriana Godoy disse...

Cara, gostei, gostei muito, o final arremata e dá nó. Bravo. Beijo.

Compulsão Diária disse...

Passante ruiva! Un éclair..puis la nut!- Fugitive beaté(..) O toi que j'euse aimée, ô toi qui le savais

Depois do poema que vc deixou no comentário de Rasgo...eu tentei!

Luciano disse...

Sentimental, louco isso né? Mas verdade. Algumas coisas permanecem perfeitas e intocadas justamente por não terem se concretizado. Abração amiga.

Beth, seja bem vinda. Volte sempre. Espero que tenha curtido e continue acessando o blog.

Marcia. Que legal. Tb gosto das quebras de expectativas, em quase tudo. Abraço amiga.

Maria que legal, com certeza vou dar uma conferida nessa tua indicação dos curta-metragens. Bj.

Rose. A vida nos surpreende de quando em vez. E em muitas vezes ficamos na dúvida sobre o que fazer. Abraços.

Drika. Bueno, receber um elogio de uma escritora a quem eu admiro, já valeu o post. Gracias. Beijão.

Compulsão. Tentou e conseguiu. Obrigado pelos versos. Pela beleza das palavras e das imagens que elas trazem. Abraço menininha.

zeze disse...

Considero que o sexto sentido bem apurado, tenha sido o salvador de uma situação, caso houvesse se concretizado, alem do pensamento que assolava essa criatura embevecida por uma beleza ambulante, que poderia dar em nada, mas quem sabe poderia ter um final desastroso.
Seguir a voz da razao, e nao se deixar em algumas circunstancias dar asas as emoçoes.
bj
ZE

Poetisa Rebeka Alves disse...

Val
Na hora que li pensei: Minuto de tentação, tem gente que atenda e aguça o sentido da gente. Ao andar, sem querer, é a beleza que saiu p´ra dar uma volta p´ra gente saber que Deus existe e tem mensageiro...
Muito linda sua produção literária, belo escritor..Beijoca

MERGULHANDO NAS PALAVRAS disse...

Ah, a tal segurança ilusória...adorei!