O anão era o cara

Início dos anos 80. Em uma boate suspeita, com nome de nave espacial, reuniam-se personalidades que seguidamente figuravam nas croniquetas pequeno-burguês do jornal, de edição semanal, de Picapoca. Pois diz que numa madrugada de sexta para sábado estavam na tal boate, junto à mesa mais entusiástica do lugar, um ex-prefeito, Dna. Marly a poderosa cafetina, três garotas da noite, um cara do ramo imobiliário, o garçom aquele que tinha todas as manhas e o Clóvis, mais conhecido por Clovinho, o Anão. Clima de muita animação. No mesmo local, rolava um show de strip-tease brega, barulheira de copos, burburinho de outros frequentadores, muita fumaça e um cheiro empesteante de álcool no ar. Como se o próprio Demônio Algol tivesse passado pelo antro. Ah sim, e vários cantinhos mal iluminados onde casais se esfregavam, sem maiores pudores, antes de subirem em direção aos quartos que ficavam numa parte anexa do inferninho. Aí que lá pelas tantas encresparam com o Clóvis e começaram a tirar o maior sarro dele. Aquelas coisas: piadinhas sobre anões, risadinhas cínicas e tal. Como diziam umas figuras da antiga, tiraram o baixinho pra Cristo. Quanto ao Clovinho, bom, o Clovinho só na dele, quieto. Mas a encheção foi tanta que começou a ficar constrangedor. O ex-prefeito que já estava pra lá de Bagdá, em dado momento, queria saber como é que o anão fazia pra cagar. O cara da imobiliária, tirou o rosto que estava mergulhado entre os seios fartos de uma das garotas para responder que decerto o anão cagava em um penico com medo de cair e morrer afogado dentro da privada. Risadeira total. Dna. Marly chegou a se engasgar com um gole de Campari. E o teu pinto Clovinho? Precisa de uma lente pra encontrar o fiapo quando vai mijar? Perguntou o garçom em tom sarcástico. Novo ataque de riso em todos. Uma barbaridade, aquilo não podia ficar assim. Pareciam um bando de bufões. Totalmente sem limites, completamente escrotos. Foi daí que o nanico, sem falar nada, de maneira muito tranquila, subiu sobre a cadeira na qual estava sentado. Ficou com a cintura praticamente alinhada à altura da mesa. Abriu a braguilha da pequena calça e deixou que tombasse sobre o móvel um pênis descomunal, que mesmo em posição de repouso chegava perto dos 20 cm. Ficaram todos boquiabertos e de olhos arregalados. Naquele final de madrugada, o Clovinho acabou levando duas das garotas para um dos quartos e depois de 50 minutos pediu que a terceira também subisse. Nunca mais serviu de chacota para os clientes da nave-mãe. Virou lenda.

26 comentários:

On The Rocks disse...

rsrs - massa!

Luciano Pfeifer disse...

Fala Tarcísio. Sempre bom te ver por aqui, parceiro. Grande abraço.

maria disse...

Eu nunca tinha parado pra pensar nos pênis dos anões, rs.

Andamos meio sumidos. Reaparecemos. Beijo pra vc também.

Luna Sanchez disse...

Luciano,

Quem pode, pode, enfim. Gostei do texto, gostei de te ver lá no blog, gosto de te ler, e lamento que esteja sumidinho.

Dois beijos, daqueles de sábado.

ℓυηα

Nobre Epígono disse...

Hahaha. Clovinho e seus 20cm! Bela narrativa.

Você sumiu, hem, rapaz?!

Abraço.

Lu Dantas disse...

Tamanho e documento..rsrsrs...obrigada pela visita e pelo carinho, viu! Adoro passar por aqui tb. Beijo!

Fabi disse...

Sempre me provocando sorrisos. Que bom que deu as caras.
Adorei!
Beijos

Rose disse...

Muuuiitttooo bom, Luciano! Comecei bem o meu domingo lendo o teu texto de requintado humor e ironia contra a hipocrisia real que existe por aí. Adorei o Clovinho..hehehe.

Grata, também, por tuas palavras e comentários sempre motivadores de fiel leitor do meu blog. Sempre é motivo para lembrarmos de pessoas e acontecimentos comuns, que fazem parte da nossa história aqui em Taquara.

Beijão

Adriana Godoy disse...

Adorei...esse anão, hein? Bom demais...kkkk. beijo.

Luciano Pfeifer disse...

Maria. De fato, um pouco desaparecidos, mas a certeza do reencontro, das leituras permanece, sempre. E isso é bom.

Luna. Seja sempre muito bem vinda aqui. Dois beijos de domingo pra ti, querida.

Nobre Epígono. Pois então velho, correrias diárias, trabalho estudos e mais um montão de coisas. O tempo para vir aqui portas fica reduzido, mas enfim. De quando em quando vou deixando alguns fragmentos para a gente ler e comentar sobre. Abração meu velho.

Fabi. Legal poder te provocar tais sorrisos. VEnha sempre, sorrir faz um bem danado à nossa saúde. Bj em ti, menina.

Rose, minha amiga querida. E assim vamos né? Nos lendo, trocando ideias, relembrando, rememorando, dialogando. Tua presença aqui é sempre um prazer e uma honra.
Abração de arte, maninha.

Drika, rsrsrs que figura esse anão heim? Beijão em ti.

Marcia Barbieri disse...

Adorei,a sua narrativa é sempre envolvente e me sinto nos lugares que descreve,esse seu texto me lembrou o filme q assisti ontem:"Na Ponta dos Pés".Não é genial o filme, mas acho interesssante anões, tão peculiar!!!

beijos

A Senhora disse...

Clovinho, é? UAAAAAUUUUU!!! :)))

Adorei o texto!

beijocas

Thania Klycia disse...

Eu agradeço sua visita, seu comentário, seu abraço e passei aqui pra conferir seu trabalho. Achei seu texto divertido e surpreendente, uma leitura leve e não-desprovida de humanidade.

Extase disse...

gostei desse cara

edileuza disse...

Passei pra fezer uma visitinha. Tô rindo até agora rs
bjo

Renatinha disse...

Você anda sumido, mas - pelo visto - a criatividade e o talento continuam a mil... ADOREI A VINGANÇA DO ANÃO... Luc.. ótimo você ter mandado e-mail para avisar da atualização... estou super sem tempo de entrar aqui e em outros blogs... sempre que puder, avisa tá.

Papagaio Mudo disse...

oi Luciano,

gostas de Chet Baker?
abraços,

Gustavo

Anne Baylor disse...

Deixaram o anãozinho o nervoso..
Ele teve que mostrar o material..
Legal demais.

um bjão


=]

Luciano Pfeifer disse...

Marcia. Receber o elogio de uma escritora que eu admiro muito só me incentiva a escrever mais. Obrigado pelo carinho. Bj amiga.

Senhora, Clovinho sim, uauuuu. Rsrsrsrs. Figura esse anão. Beijão linda, seja bem vinda aqui sempre.

Thana K. Que bom que gostou da narrativa. Volte sempre que quiseres. Abraço de arte em ti, menina.

Extase. Eu tb gosto desse cara. Clovinho não é facil não. Figuraça. Abração. Venha sempre que puder.

Dileuza, amiga querida. Que saudades de ti. Que bom que consegui provocar umas risadas. Sempre bom te fazer sorrir. Só ficou faltando umas pastilhas Garoto.
Bj em ti.

Renatinha. Grande Renatinha. Saudades dos teus comentários mocinha. Sempre bom os ler. Sempre que puderes dê uma passadinha por aqui Migona.

Papagaio Mudo. Gosto sim de Chet Baker. Do músico e do cantor. Artista completo. Abração.

Anne, imagina só o tal anão. Que lance heim. Mostrando a que veio.
Bj menina.

Lucas Wuo disse...

Iai father BLZ??Da uma olhada la nu meu blog abraço!

céu e saudade disse...

Anão esperto. Se tornou grande a partir da atitude. rs

camilacorado disse...

eu nem sei o que dizer disso aqui. muito obrigada pela passagem e pelo elogio. gostei muitíssimo disso. me faz como se estivesse vivendo o descrito.
um grande beijo.
camilacorado.
todaquarta.

Luna Sanchez disse...

Ei, psiu, cadê tu, guri?!

ℓυηα

On The Rocks disse...

hilário!

rapaz, as dicas aí do lado estão demais.

chet, pin ups, dinosaur jr...

massa!

abs

Luciano Pfeifer disse...

Lucas filhão. Mesmo quando não deixo recados, passo por lá para dar um confere. Tuas postagens, sempre muito boas. Abração em ti filhote.

céu e saudade
Bem nessas. Diante da patifaria toda só restou ao baixinho mostrar a que veio. Abraço.

Camila. Seja muito bem vinda aqui. Achei teu blog bem especial. Volto lá mais vezes.

Luna, rsrsrsr, tô por aqui menina. Sem muito tempo para colocar postagens com mais frequência. Bjão.

Tarcísio, pois é. Sempre indico algumas "coisinhas boas" para quem quiser dar uma avaliada. Abração de arte meu velho!!!

MERGULHANDO NAS PALAVRAS disse...

Que texto loucamente envolvente...a narrativa sob a regência do demônio árabe rsrs demaaaais!